top of page

Estivemos na Gump's Drag Race outra vez

Nos últimos dias 22 e 23 de abril, aconteceu na pista de arrancadas Race Valley, em Tremembé, SP, a segunda edição da Gump's Drag Race, reunindo inúmeras motocicletas Harley Davidson em uma competição de arrancada de estourar os tímpanos de quem estava na plateia e nós não podíamos ficar de fora.


Da mesma forma que aconteceu na primeira edição, no final de julho passado, diversos pilotos de todo o Brasil trouxeram suas Harley Davidson para enfrentar o quarto de milha da pista de arrancada e tentar alcançar o menor tempo possível dentro de sua categoria.


Eric Soleki, da HD Peças, dando aquela aquecida básica no pneu

Havia motos preparadas, com adição de nitro na mistura ou com turbo instaladas, mas também tinha categorias de motos originais, do jeitinho que elas saíram da fábrica, sem mencionar a mais estilosa, das Harleys antigas.


Em relação à primeira edição, dessa vez as equipes vieram com vontade de bater os " segundos" e os pilotos e mecânicos estavam concentrados na tarefa de melhorar a performance das máquinas ao máximo. A energia é tão contagiante que teve gente que foi para assistir, mas acabou colocando sua Harley na pista, picado pelo mosquitinho da velocidade.


Felipe Andrini, da Andrini Custom, que não resistiu e caiu na pista com sua 883 poderosa

Quem levou o troféu da Harley Davidson mais rápida de 2022 foi Fábio Balestieri, da El Camino, de Campo Grande, que pilotou sua Softail preparada pelo mecânico Marcelo Zanini, no tempo de 6.719”, baixando a casa dos segundos em relação ao ano passado, em que as motos mais rápidas correram em torno dos 7 segundos.


A Harley mais rápida do Brasil, de Fábio "El Camino"

No ano passado, o título de Harley mais rápida ficou com o Johny Brutal, da Brutal Garage, com 7.129”.


Um evento que entra para a história


Igual à primeira edição, o evento foi marcado pela completa ausência de ocorrências desagradáveis. Mesmo com a presença massiva de motoclubes que já foram considerados rivais num passado distante, o clima do evento se desenvolveu num ambiente marcado pelo respeito, pelo companheirismo entre os pilotos e equipes e pela cordialidade.


No recinto da Race Valley era possível encontrar famílias, casais de namorados, grupos de amigos e até crianças brincando em meio às incontáveis Harley Davidson que estavam circulando pelo local.


Cenário das arrancadas no Brasil


Da mesma forma que se inicia nos EUA uma nova modalidade de competições de Baggers, lá que é o país originário das grandes motos de Milwaukee e já acostumado a arrancadas do tipo, aqui no Brasil, esse evento criado pelo Julio Gump começa a criar um cenário de um novo tipo de competição de Harleys, que estavam, até o ano passado, circunscritas às Dirt Tracks.


Julio Gump, o idealizador do evento e sua Sportster

Pela qualidade técnica das motos que vieram para o evento e pelo investimento feito pelas equipes, podemos dizer tranquilamente que o cenário das Drag Race no Brasil, com Harley Davidson, já dá sinais de consolidação e a tendência é que mais equipes profissionais surjam e se juntem a essa brincadeira séria.


E, para você que não pôde acompanhar o evento, nós estivemos lá fazendo a cobertura dos dois dias e já subimos o vídeo para nosso canal do YouTube. Acesse, inscreva-se, deixe seu like e compartilhe com seus amigos.



26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page