top of page

Cam Service: quando fazer?

Atualizado: 24 de out. de 2022

Pra quem não é habituado ao mundo das Harleys Davidson, essa terminologia Cam Service surgiu quando a fabricante de Milwaukee resolveu abandonar o maravilhoso projeto do motor Evolution e nos presenteou com um motor, há época, mais potente, com melhor resposta às aceleradas e, por conseguinte, com menor consumo de combustível: os famosos Twin Cam.

Twin-Cam 88 equipando uma Softail 100th Anniversary

Praticamente, quase todos os motores da Harley Davidson são equipados com 2 cilindros dispostos em V, em um ângulo de 45º, mas, logo depois do sucesso estrondoso do motor Evolution, que tinha vindo substituir o antigo Shovelhead, a Harley lançou um motor de 88 polegadas cúbicas (1450 cilindradas) chamado de Twin Cam, em 1998, e os manteve em produção, com poucas alterações, até 2017, quando surgiu o novo motor Milwaukee Eight, de oito válvulas, que equipa as motos atuais da montadora.


E, por que esse motor ganhou o nome de Twin Cam? Justamente porque introduzia dois comandos de válvulas sincronizados por corrente, aumentando o torque e a potência em relação a seu antecessor, o Evolution (EVO), que era «Single Cam», por assim dizer. Outra coisa que aconteceu foi que, devido a problemas de lubrificação dos motores EVO, a Harley colocou nos Twin Cam uma bomba de óleo interna de duplo gerador.


Vale ressaltar que o projeto do motor Evolution não acabou com a chegada dos Twin Cam. Na verdade, ele ainda permanece equipando os modelos Sportster até agora, quando a Harley Davidson apresentou sua nova Sportster S, equipada com o motor Revolution Max 1250T. Também os motores Milwaukee Eight voltaram a ser «Single Cam».


Cam Service

Com a nova tecnologia, surgiu mais um foco de atenção na manutenção das poderosas Harley Davidson, que é justamente o fato de um desgaste que ocorre nos tensionadores dessa corrente de comando que agora equiparia os motores.


Nos primeiros motores Twin Cam, de 88 polegadas cúbicas (TC88), essa manutenção se mostrava necessária com poucos milhares de milhas rodadas, o que fez a Harley dar um upgrade nesses tensionadores no modelo seguinte do motor, o TC96, com 96 polegadas cúbicas e quase 1600 cilindradas, substituindo-os por modelos hidráulicos, diferente dos anteriores pressionados por molas.


Esse sistema agora hidráulico, unido a uma bomba de óleo com maior capacidade, deu um respiro aos proprietários de Harleys, que tinham que deixar seu bem mais precioso nas oficinas a cada 40 mil km e agora já podiam se preparar com maior antecedência. Mas, o problema não desapareceu e só foi postergado.


Os motores TC103 e TC110, que foram os últimos dessa grandiosa linha de motores da Harley, continuaram sofrendo da mesma bomba relógio dos tensionadores hidráulicos, mas com quase o dobro do tempo de desgaste, em situações normais, em relação aos primeiros TC88.


A verdade é que, mais cedo ou mais tarde, sua Harley equipada com motores Twin Cam terá que fazer uma visitinha mais demorada ao mecânico, justamente para verificar o estado desses tensionadores, aproveitando para fazer uma revisão em todo sistema de comandos válvulas. Há um desgaste natural em muitas peças do motor e já que se está abrindo uma boa parte da máquina, melhor aproveitar a mão de obra e já substituir peças que podem estar sujeitas e esse desgaste.


Segundo meu amigo Sandro, da Thirteens Strength Garage, além dos tensionadores, são verificados os rolamentos, os eixos de comando, os dois eixos de cada cilindro e os dois balancins. É verificado também se há desgaste na própria tampa do eixo de comando, que não possui rolamento, por sua vez, e pode apresentar folga.


Caso se veja a necessidade de realizar as trocas de peças, o chamado Cam Service, especialmente os tensionadores da corrente de comando, as juntas, que são itens de vedação, são substituídas obviamente e, porventura, faz-se também a substituição dos lifters, isto é, os famosos tuchos hidráulicos. Ainda há a opção de se adicionar buchas (opcionais) para tirar a folga que vem de fábrica na parte de cima do motor, diminuindo sensivelmente aquele bate-estaca normal dos motores Harley.


Minha Street Glide 2012 com motor TC103, a Black Betty, por exemplo, parou exatamente agora para a realização do Cam Service, com exatos 70 mil km rodados (aprox. 43 mil milhas, ou seja, mais que o dobro das antigas TC88, segundo vários sites especializados dos EUA) e o que percebemos é que havia um desgaste já bem visível nos tensionadores (foto ao lado), mas não havia desgastes nos demais elementos. Mas, uma vez aberto, vamos trocar tudo o que é possível, aproveitando a mão de obra. Substituímos também os «lifters», porque um deles, impossível de se identificar qual, já dava indícios de barulho há algum tempo, dando uma descarregada ali, outra acolá, com a moto fria, e também trocamos algumas juntas a mais, que estavam começando a «babar». Dei uma geral na criança, para fazer ela rodar mais 70 mil km ou mais, sem receio de que aconteça algo ruim. Deem uma olhada na bancada com o quebra-cabeças pronto para ser montado no vídeo abaixo:

Quando devo ficar atento?

Bom, essa é a pergunta de um milhão de dólares com muitas respostas. Porém, tecnicamente falando, ouvindo os melhores do ramo, se não considerarmos as inúmeras variáveis envolvidas no processo, podemos dizer que a inspeção do Cam Service deve ser feita por volta dos 50 mil km, independentemente do motor (TC88, TC96, TC103 ou TC110). Se os tensionadores estiverem gastos é sinal de que pode haver mais desgaste e parte-se para abrir tudo e conferir.


Pessoalmente, já vi Harley com motor TC88 rodar 60 mil km sem que os tensionadores apresentassem um desgaste acentuado, mas, como a inspeção é razoavelmente mais fácil de ser feita do que um reparo caso dê problemas, por que não fazer periodicamente após certo tempo?

Black Betty e seu motor imundo de rodar na chuva.

Basta que você, ou seu mecânico de confiança, quando a moto começar a atingir uma certa faixa de quilometragem, faça uma verificação periódica – a cada duas trocas de óleo, por exemplo – verificando o desgaste de acordo com as medidas do manual de serviços da moto.


Aliás, qualquer pessoa pode adquirir em sites gringos, por uns US$15, mais ou menos, os manuais de serviço de sua moto, em versão digital, ou por uma centena de dólares, os manuais impressos originais da Harley Davidson, mas infelizmente, só fora do Brasil. Só para você ter uma ideia, no motor TC96 de uma Dyna, o manual sugere que a troca dos tensionadores se deve dar quando o tensionador externo tiver um desgaste maior que 2,29 milímetros.


Além disso, um dos fatores que contribui para a necessidade prematura de troca dos componentes do motor é o óleo que você utiliza. Não caia nessa história de que Harley Davidson é um tratorzão que suporta qualquer tipo de óleo. Ela é, sim, uma moto robusta, que aguenta coisas que até os engenheiros que a criaram duvidam, mas esses componentes que são consumíveis tendem a se desgastar muito mais rápido quando se utiliza um óleo de qualidade duvidosa.


E, ao escolher o óleo que devemos colocar em nossa motocicleta, deve-se levar em conta outras variáveis, como a região que você mora, se é de clima frio ou quente... se o uso da moto é em condições severas* ou não... se sua «pegada» é mais agressiva ou você pilota com tranquilidade... enfim, tudo isso contribui para um desgaste antecipado (ou não) desses componentes. Levando todos esses fatores em consideração e fazendo revisões periódicas, você não terá nenhuma surpresa com sua moto nesse quesito.


O Sandro também ensina que «o óleo é o essencial para evitar o desgaste prematuro». Segundo ele, o desgaste de peça de motor não se dá com baixa quilometragem. «Uma moto com óleo bom, trocado no tempo certo, bem cuidada, passa fácil dos 40 ou 50 mil km sem precisar fazer troca de algum dos componentes», mas ele também alerta que, no caso de se adquirir uma moto usada, como não sabemos a manutenção pregressa, é necessário fazer essa verificação como precaução.


Agora, se deixar a coisa degringolar, o rompimento de um tensionador, por exemplo, pode ferrar todo seu motor. Daí, o que você iria gastar para fazer um Cam Service programado e com calma, será multiplicado por tantos fatores quanto forem os danos à máquina. Isso sem contar o transtorno da moto parar no meio de uma viagem, tendo que voltar de guincho pra casa. Não permita sua Harley passar essa vergonha.


Ah, antes de encerrar esse texto, tenho que fazer um alerta. Caso você não seja um adepto do faça você mesmo, não leve sua moto para fazer esse serviço em mecânicos que não estão habituados. As Harleys possuem uma mecânica simples, com manuais de serviço que parecem uma cartilha, com tudo explicadinho, e por isso tem muito dono de HD que é o próprio mecânico de sua moto, mas elas têm uma linguagem própria, diferente de muitas outras marcas de motos que estão no mercado.


(*lembrando ainda que: condições severas não significa fazer um rally com sua moto. O uso desse tipo de moto em um trânsito pesado, parado, sem o vento que promove o resfriamento do motor, com aceleradas e paradas bruscas e muitas trocas de marcha, é muito mais danoso ao motor de sua moto do que rodar 2 mil km de estrada de cascalho em sexta marcha, só parando para abastecer).


1.139 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page