top of page

Eduardo Pessolato e sua experiência na Gump's Drag Race

No último final de semana de 20 e 21 de abril, aconteceu em Tremembé (SP), na pista da Race Valley, a edição 2024 da Gump’s Drag Race, uma prova de arrancadas de Harley Davidson que reúne o que há de melhor no universo custom brasileiro e, durante a prova, conversamos com Eduardo Pessolato, piloto da categoria V-Rod da equipe Los Condes Kustom.


Eduardo Pessolato na Gump's Drag Race 2024

Conseguimos acompanhar o Eduardo nos dois dias da competição e colhemos sua impressão sobre como foi o sábado, nos treinos e, depois, logo após sua última passada, que lhe garantiu o terceiro lugar na categoria, pela soma do tempo de pista e de reação.


Aliás, foi por conta dos décimos de segundos do tempo de reação que ele não ficou em segundo lugar no pódio da categoria.


Portal Gasolina - Eduardo, quantas vezes na Gump’s Drag Race?


Eduardo Pessolato - Estou aqui no Gump’s há 3 anos. No primeiro ano eu vim só pra ver, em 2022. Em 2023 eu vim, no ano passado, e consegui o terceiro lugar na primeira vez que entrei na pista. Então, pra mim, foi muito especial, e esse ano estou aqui de novo, só que com outra moto, outra configuração e eu sou do ABC de São Paulo, de Santo André.


PG - Qual a diferença de sua moto, do ano passado para hoje?


EP - Cara, ela está melhor do que a do ano passado, que era uma V-Rod também, só que era uma V-Rod preta. Essa daqui é do mesmo ano, só que ela está com estágio dois. A preta estava só com estágio um.


Ela está bem melhor! O meu tempo, inclusive, está melhor. Meu único problema foi que, quando eu mandei fazer as modificações, eu esqueci de tirar o catalisador e, querendo ou não, isso está me segurando um pouquinho.


Mas o meu resultado está melhor esse ano do que o ano passado. Eu estava fazendo 7,980 segundos e esse ano eu estou fazendo 7,475 segundos agora pela manhã. Como a minha categoria (V-Rod) vai ser a primeira, possivelmente, eu possa pegar um clima um pouco mais agradável e a pista limpa, porque, no meio da tarde a pista já está quente, suja, então, são pequenos detalhezinhos que vão modificando as coisas.Mas, a ideia é conseguir alguma coisa.


PG - E sua visão da Gump’s Drag Race ao longo dos anos?


EP - Cada vez melhor e cada vez mais profissional. No primeiro ano que eu vim, não participei, vim só como espectador, mas você percebe que as coisas vão se profissionalizando, tem umas regras a mais.


Coisa que no ano passado não tinha, esse ano já tem umas regras a mais… o evento está maior, tem espaço maior pra vocês que vêm ver o evento… não é só pra gente não. Agora tem toda essa área aqui de escape que antes não tinha (...). Eu, particularmente, acho que cada ano que passa está melhorando tudo.


PG - Qual o maior desafio para ser piloto profissional?


EP - Custa caro! É uma brincadeira que não custa barato. Teve uma vez que eu vi um cara dando uma entrevista e perguntaram pra ele exatamente a mesma coisa, e ele falou dinheiro. A galera achou que ele era meio estrela, mas não! É a verdade, cara!


Se você tiver dinheiro, você consegue jogar duzentos cavalos em cima da moto. Só que se você não tem dinheiro você vai conseguir jogar pouca coisa. Lógico, você como pessoa querer evoluir também é legal, mas na minha opinião, a questão da grana influencia muito.


PG - E o que você fala pra quem tem vontade de competir?


EP - Ah, se tem vontade, não perde tempo. Vem sem dó! No ano passado, quando eu ganhei no terceiro lugar, e nem eu acreditei, porque era a primeira vez que eu estava na pista, eu fiz uma postagem e o meu texto era mais ou menos assim: você vai ficar até quando, sentado no sofá, vendo a história dos outros? Sai do sofá! Vem pra pista!


postagem do Eduardo Pessolato


 

No dia seguinte também encontramos Pessolato, logo após sua última passada e já fomos conferir como tinha sido seu tempo e o que ele estava achando.


EP - O tempo foi melhor que ontem. Ontem eu estava brigando no 7,8 segundos e hoje eu fiz um 7,6 segundos. Consegui um resultado bom, em termos de tempo eu teria ficado em segundo, mas como também tem a contagem do tempo de reação, talvez eu tenha ficado em terceiro.


PG - Você costuma ficar se comparando aos demais pilotos?


EP - Eu não olho muito pros outros, prefiro me concentrar em mim… então, ontem mesmo, de todos que estavam ali eu só acompanhei o tempo daquele cara que estava aqui, que é do Paraná, que eu dei umas dicas pra ele. (...) foi o único que corri ontem com o V-ROD x V-ROD.


Dos outros eu nem tinha acompanhado e nem sabia se os caras estavam bons ou estavam ruins… não sabia nada.


PG - O que mudou no seu tempo de ontem pra hoje?


EP - Eu estava melhor, mas tudo por uma série de questões. Como a minha categoria foi a segunda, então a pista estava mais limpa (...) a temperatura está mais baixa… isso influencia um pouquinho.


PG - E seus planos para o futuro na corrida de arrancada?


EP - (...) A gente tem que pensar o seguinte, você evoluiu, só que o teu concorrente também evoluiu. (...) Ontem eu até comentei aquela história do dinheiro. Você tem que pensar que todo ano vai ter que fazer alguma coisa, porque todo ano o seu concorrente também está fazendo alguma coisa. Então, é isso aí! Vamos, agora, se preparar pro ano que vem.


 

Eduardo Pessolato correu na categoria V-Rod nas últimas duas edições da Gump’s Drag Race e faz parte da equipe Los Condes Kustom. Assista à entrevista em vídeo em nosso canal do YouTube no link abaixo.





10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page