top of page

Clássico do Mês: Softail comemorativa dos 100 anos

Texto: Luiz Gustavo Cabett e José Caetano

Fotos: José Caetano


Para estreia dessa coluna em nosso site escolhemos um verdadeiro clássico de duas rodas, uma Harley Davidson Softail Standard produzida no ano de 2003, com pintura e ítens especiais, para comemorar os 100 anos da icônica montadora de Milwaukee.

Antes de mais nada, precisamos nos ater à definição do que é um "clássico". Além das definições literárias e artísticas, o adjetivo «clássico» tem vários usos, mas uma de suas definições reflete exatamente os critérios que escolhemos para classificar os veículos que irão fazer parte dessa coluna em nosso site e de um programa especial em nosso canal do YouTube. Como adjetivo, clássico, «diz-se da obra ou do autor que é de estilo impecável e constitui modelo digno de admiração».

Impecável + Admirável = Clássico Portal Gasolina

Pronto! Nada melhor que uma Softail, modelo que bem representa a promessa de liberdade em duas rodas da marca, por seu design e leveza e, ainda mais, numa série especial, comemorando o centenário da marca que, mesmo enfrentando inúmeras crises e a ameaça de fechar suas portas por diversas vezes, conseguiu a façanha de cumprir esse jubileu.


Nosso clássico

A moto que escolhemos, emprestada para nossa matéria por nosso amigo Allan Felipe, saiu de fábrica na cor preta «Vivid Black», sendo que a montadora, em 2003, enviou para o Brasil mais duas opções de cores, o Azul «Gun Metal» e o Prata e Preto. Todas com a característica faixa, com detalhes precisos, decorando o tanque das motos.

O "Distintivo" e a Faixa exclusiva do Centenário.

Há que se fazer uma menção especial ao emblema do tanque que, além de trazer consigo os anos que demarcam o centenário, é composto de duas peças, sendo o famoso bar & shield da marca constituído de uma peça separada, afixada sobre a peça com as asas e os numerais 1903, 2003 e 100.


O famoso Twin Cam 88 e seu câmbio de 5 marchas, são considerados por muitos como o melhor conjunto motriz das motocicletas de Milwaukee. Com suas 88 polegadas cúbicas, equivalentes a 1450 cilindradas, diferentemente do antecessor "Evolution", o modelo traz dois comandos de válvula, um para cada cilindro do motor, o que lhe garante a denominação.

Dos cromos, o brilho do Nosso Clássico.

A própria montadora Harley Davidson incentiva a customização de suas motocicletas a gosto do freguês, oferecendo uma enorme gama de acessórios, como pedaleiras, guidões, tampas e penduricalhos para que cada moto seja única, sem mencionar a infinidade de peças de outras marcas, especialmente desenhadas para as HDs. Essa nossa Softail não escapou à regra e possui inúmeras customizações que só enriquecem sua qualidade de "clássico".


O prorietário optou pela presença do cromo em toda motocicleta. Diferentemente de suas irmãs FatBoy e Deuce, do mesmo ano, por exemplo, que já vinham com inúmeras peças cromadas de fábrica, a Softail, por ser um modelo mais espartano da Harley, não abusava do brilho metálico nas peças. Mas, como podemos perceber nas fotos, essa em especial, ganhou o carinho reluzente que a montadora não lhe deu ao nascer.


Além do cromo, esse modelo recebeu uma roda traseira oriunda da Softail Nigth Train, fechada, uma receita de carburador mais apimentada, o banco badlander original Harley Davidson, e um aumento de altura do guidão através de um raiser mais elevado e guidão mais reto, proporcionando mais conforto em sua dirigibilidade, ao adequar-se à altura de seu proprietário.


Aí está nosso primeiro Clássico do Mês do Portal Gasolina, que não poderia deixar de ser uma Harley Davidson, dado nosso não negado alumbramento pelas motos da famosa montadora de Milwaukee. Assista também o programa Clássico do Mês em nosso canal do YouTube.



64 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page