top of page

CLÁSSICO DO MÊS: Land Rover Série 1 (1956)

O segundo Clássico do Mês escolhido pelo Portal Gasolina foi o jipe Land Rover Série 1 de 1956 do Eduardo "Body" Andrade, já conhecido de nosso Portal nas diversas matérias que fizemos com veículos 4x4 e militares.


Invadimos a garagem do Eduardo e colocamos pra rodar esse "jipinho" inglês cheio de charme e pudemos conhecer cada detalhe dessa unidade, que o torna um verdadeiro clássico. Aproveitamos para fazer aquela sessão de fotos e ainda conhecemos a história de como esse veículo veio para as mãos de seu zeloso dono.


Como descobrimos na entrevista que está em nosso canal do YouTube, esse Land Rover já provava sua robustez servindo como veículo de uma marina no Litoral Norte de São Paulo, substituindo um trator para tirar os barcos do mar e, depois que mudou de mãos, foi o veículo de trilhas do Eduardo, até ser reformado e poder desfrutar de um descanso merecido. Mas, para quem acha que o carrinho está parado, quase toda semana os editores do Portal Gasolina cruzam com o Eduardo pilotando sua máquina pelas estradas da região.


O Clássico

Como já dissemos anteriormente, esse veículo é um Land Rover Série 1, fabricado em 1956, como se pode identificar pela grade dianteira. Esse modelo começa a ser fabricado em 1948 com uma grade inteiriça e faróis embutidos. Depois ele passou para uma grelha inteiriça, mas com os faróis para fora e foi evoluindo até esse modelo da matéria, que é conhecido como T invertido, pois a grelha se assemelha a uma letra "T" de cabeça pra baixo. Na frente do veículo ainda se pode ver o acesso da manivela de partida. A rusticidade do veículo e seu uso agressivo, permitia o atraso do ponto do carro em um mecanismo no distribuidor para a utilização da manivela.



O pneu sobressalente sobre o capô do veículo também uma característica da marca inglesa, que os diferenciava dos Jipes americanos da época e outro diferencial era a maneira de prender o para-brisa que era basculante. A Land Rover desenvolveu uma maneira de prender tanto o capô como o para-brisas através de apenas uma trava de cada lado, enquanto que os americanos tinham um par de travas para o capô e mais um par de travas para o para-brisas.


O tanque de combustível é um capítulo à parte. Situado embaixo do banco dianteiro direito, o tanque traz acoplado uma espécie de funil com uma tela de filtragem. Como o veículo foi projetado para uso em áreas remotas e terrenos acidentados e enlameados, o reabastecimento deveria ser feito através de galões. O funil não só facilitava essa manobra, como impedia que corpos estranhos que estivessem no galão, entrassem no tanque, vindo a contaminar ou entupir o sistema.


Essa unidade, de 86 polegadas e 2 portas, é preparado para o transporte de 7 passageiros e ainda podia rebater os bancos traseiros para o transporte de carga, ao invés de pessoas. A marca também tem uma característica interessante que é o fato de ser facilmente desmontável sem o uso de ferramentas. Todas as portas, tampas e capô podem ser retirados do carro apenas com operações manuais.

Em sua parte traseira também há um acesso de tomada de forças para implementos agrícolas como polias, perfuradores e mais uma série de implementos que eram ligados diretamente no câmbio do carro, o que o tornam um veículo extremamente versátil. A lanterna "capelinha", vista na traseira igualmente pode ser considerada um distintivo da marca.


Acompanhe também a matéria em vídeo em nosso canal do YouTube. Inscreva-se no canal, compartilhe os vídeos, ative o "sininho" e deixe seu like.


147 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page